Historial

A produzir Cal com qualidade e tradição desde 1932

1930 A origem da família Maxical

1930

A origem da família Maxical

No que diz respeito à origem da família Maxical, remonta á década 30, tendo sido Manuel Pinto o seu precursor até aos anos 50, a partir daí, seu genro, Abílio Antunes Pereira, iniciou o desenvolvimento da produção de cal, estendendo-se até 1959, data do seu falecimento.

Nestes anos, este senhor deu muito trabalho às pessoas dos lugares mais próximos, tendo sido um grande dinamizador, que levou o nome desta região a muitas zonas do país (Lisboa, Setúbal, Figueira da Foz, Guarda, Castelo Branco, Viseu, Coimbra e muitas outras regiões).

Na década de 50 é introduzida no mercado a cal para estuques, e é aqui que o Abílio Antunes Pereira lançou a Cal da nossa região a grandes obras de estuque. Ex: Santuário Nossa Senhora da Fátima, Palácio da Justiça e Comércio de Lisboa, Casino da Figueira da Foz, entre outras

1930 A origem da família Maxical
1959-1980 Coragem, Tenacidade, espírito e sacríficio

1959-1980

Coragem, Tenacidade, espírito e sacríficio

Após o seu falecimento, a sua mulher, Laura Jesus Pinto abraçou o negócio com coragem, tenacidade, espírito de sacríficio, lutou contra tudo e todos, bancos, fornecedores e calúnias, conseguindo transmitir aos seus filhos o legado do seu marido.

1980-2000 A Empresa Maxical

1980-2000

A Empresa Maxical

Quanto aos trabalhos de fabricação de Cal Gorda, foi ao longo dos anos evoluindo no sentido de criar melhores condições de trabalho e aumento de produção.

A partir daí, é formada mais tarde a Maxical, que teve um desenvolvimento forte até aos anos 2000.

1980-2000 A Empresa Maxical
Atualidade A diferença na produção de cal

Atualidade

A diferença na produção de cal

Atualmente, ainda se fabrica Cal em fornos tipo Artesanal, sendo já no nosso País uma raridade, esta Cal de características muito específicas destinada especialmente a nichos de mercado, nomeadamente para execução de trabalhos de Reconstrução, Reabilitação, Conservação, Restauros e Caiações pois tem nestas atividades uma excelente aceitação. A Maxical mantém a produção em fornos artesanais face à diferenciação que desde sempre houve em determinados mercados onde esta Cal se aplica.

Estamos cientes que esta forte procura deriva do criterioso processo de selecção da matéria-prima e deste tipo de produção artesanal.

Trabalhamos afincadamente no sentido de valorizar este tipo de actividade e produto dela derivado, pois é fundamental e de grande importância, de forma a inverter a tendência de desaparecimento o reconhecimento deste produto em termos económicos e culturais, pelas suas reais características que o tornam polivalente e incomparável.

whatsapp
Messenger